quarta-feira, março 11, 2009

Woman bombing

Woman bombing é um misto de ciência e esporte radical que consiste em pegar uma mulher normal e ir enlouquecendo-a progressivamente, até que ela exploda.

Estas são sábias palavras de uma escritora fantástica - Luciana Pessanha – que publicou o livro Como montar uma mulher-bomba (Rocco, 112 págs.). Não... Tetê não ganha nada divulgando, não, e nem vai começar a fazer resenhas por aí. Muito menos conhece a autora ou qualquer personagem envolvido. Acontece que, no meio de tantos livros sobre o "universo feminino", esse trata de assuntos concretos!

Quem foi que nunca explodiu, afinal? Que atire a primeira granada! Porque a gente sabe que é impossível ficar quietinha diante de um impassível ser humano do gênero masculino, que acorda com o pé esquerdo em plena segunda-feira chuvosa e resolve nos "montar" em bombas ambulantes. Alguns destes seres tem tanta, mas tanta sorte, que a gente acaba explodindo segundos depois que eles batem a porta. Ou segundos depois que chegamos no escritório. Ou segundos depois de uma garçonete desastrada derrubar um copo de vinho na nossa camisa de seda favorita. Mas a explosão era realmente para ele, para aquele ser em particular, que utilizou todas as artimanhas para nos tirar do sério.

Tetê já teve algumas explosões memoráveis! A maioria delas é tão avassaladora que não adianta tentar juntar os pedaços depois: não sobram pedaços. Ela desconstrói moléculas como se fosse um sofisticado aparelho de ultrassom. Vestígios? Nem pensar. E ela avisa, sempre. Tetê sempre avisa o miserável que está chegando a hora, que ela está ficando cansadinha, que ele está idealizando uma cota de paciência inexistente, que quando o alarme vermelho acende já é o point of no return e outros avisinhos mais sutis...

Mas a última explosão de Tetê foi memorável meeeesmo, e o grande homem que estava na frente dela até hoje não consegue entender como foi que conseguiu acioná-la desta forma. Ele era inteligente, bonito, carinhoso, mas com alguns vícios emocionais terríveis tipo "medo de se envolver". Ai. Primeiramente... que saco isso! Coisa mais démodé, em todo o caso... vai! O coitado tem "medo de se envolver", o que significa que de uma hora para outra ele pode sumir. Tudo por causa do "medo...".

Mesmo sendo inteligente para algumas coisas, o rapaz era burrinho para outras. Passar e-mail, reenviar, responder a todos, pedir confirmação de leitura, era coisa que o pobrezinho não conseguia entender nem com o melhor dos desenhos coloridos cheios de chapeuzinhos vermelhos andando no bosque em busca da vovó enquanto foge do lobo por uma estrada afora cheia de florzinhas coloridas. Pois bem, esse rapaz pediu a Tetê que cuidasse da identidade visual dele porque queria um upgrade na sua carreira. Lá foi Tetê, né? Tão boazinha, a Tetê. Reuniu os melhores profissionais, encomendou textos institucionais, logomarca, sessões de fotos, cartões, adress books, sites, toda a comunicação do dito cujo, com o maior padrão de qualidade e com os profissionais mais descolados do mercado.

Um dia... o babaca (sim...., babaca)... escrevendo para uma amiga de São Paulo... talvez passando uma cantada... pede a ela exatamente o que pediu para Tetê. A amiga responde no mesmo e-mail que a comunicação visual dele realmente está muito ruim, cheinha de defeitinhos, de errinhos, de falhazinhas. E ele responde ao e-mail da nova amiga de São Paulo, dizendo que ela podia modificar o que quisesse, tinha carta branca. O problema é que o babaca (sim..., babaca) ao invés de mandar o e-mail para a nova amiguinha de São Paulo, errou (babaca sim, e burro ainda por cima) e mandou para a Tetê!!! Para a Tetezinha!

Tetê, calmamente (juro, juro mesmo que foi calmamente), avisou os profissionais envolvidos no processo de upgrade da comunicação do rapaz. Parou tudo. Mandou que todos entupissem a caixa postal do rapaz (babaca sim! Alguém duvida?) de boletos bancários beeeeem caros, com vencimentos imediatos. Ela já tinha avisado ao mercado que representaria o rapaz, "um ótimo profissional", ela dizia. Pois ela avisou o mercado que tudo não passava de um grande equívoco. Ligou para todos os amigos, contou para todos, com detalhes, que contavam para outros e outros, com mais detalhes. Amigos sempre aumentam o drama da gente, são uns anjinhos, não? Colocam a gente lá em cima, nos defendem, mostram-se indignados com a situação e mobilizam a opinião pública contra um pobre babaca...

E depois que achou o nível de destruição satisfatório, calmamente (podem acreditar), Tetê escreveu um longo e-mail para ele. E não errou o destinatário! Muito menos errou o alvo quando ele ligou para saber o que estava acontecendo... e esse rapaz babaca foi o responsável por uma situação incrível na vida de Tetê: ele a fez inaugurar as explosões múltiplas – e não foi por prazer, não. Ele é tão, tão, mas tão babaca, que até hoje não entende como Tetê ficou sabendo de tudo. E cada vez que pergunta... ganha um novo BUUUUUUUUUUUUUUUUMMMMMMMMMMMMMM!
-
Ah! Inteligência masculina!!!

10 comentários:

Ana Paula disse...

Hum... tipo assim, um gigolô?

Pati disse...

Tetê querida, não me decepcione: você deixou esse idiota vivo???
beijos, queridíssima

Anônimo disse...

Oi Tetê
Estou chocada!
Odeio esportes radicais! mas...
Todo ser humano realmente, tem uma bomba que pode explodir a qualquer momento dentro de si, principalmente quando subestimam a inteligência de UMA MULHER, por pura ingenuidade ou ignorância! Aí é BUMMMMMM mesmo!
E o pior de tudo, é nem ao menos saber como você descobriu!
EU HEIM TETÊ!

Beijo da Tata.

Maria disse...

Peraí, Tetê, peraí! Deixa ver se eu entendi... esse palhaço pediu para outra modificar o material que você já tinha feito? Foi depois que estava tudo pronto? Se foi... sabia que você pode processar esse cara, ganhar uma grana?
Ai, ai, ai. Eu sou advogada, viu?
Beiiiiiiijo

Tetê disse...

Hello Ana Paula! Ah... como aquele gigolô lindíssimo, bronzeado, cabelos ao vento num conversível vermelho, irresistivelmente sexy, ao som de uma música lindíssima???
Não, Pati, ele era bem ruizinho mesmo. Mas pode sim, considerar como gigolô aspirante.
Beijão

Tetê disse...

Oi Pati!!! Desculpa... decepcionei você... mas foi por um bom motivo, viu? Eu já tinha perdido tanto tempo com o idiota... imagine se o cara não morre na primeira! Eu teria que ficar mais 30, 40 minutos tentando? Ah, não dava não, amiga...
Beijinho

Tetê disse...

Oi Tata!!! Não fique chocada, não! Nem foi a primeira vez que o cara fez isso. Acho que ele engatou no processo de "encaminhar" e-mails. Mas logo para o meu endereço!!! Esse tipo de cara devia vir com uma plaquinha de advertência no pescoço: "Cuidado ao escrever para mim. Eu divulgo".
Beijo

Tetê disse...

Maria, Maria, uma certa magia? Por que será que acho que te conheço? Braba você, hein? E advogada!!!
Não, meu bem, não precisa me defender desse idiota, não. Mas se quiser mesmo ajudar, please!!! Não consigo ficar em pé nessas pranchas de surf!!! O que faço??? Isso sim, é importantíssimo agora, viu? Surf, mar, Arpoador... mas que é difícil, isso é! Af...
Beijinhos, beijinhos

Lucile disse...

ai, eu pagava pra ler esses e-mails, acredita?
como pode existir um homem desses hoje em dia?
o pior é que ele pode comprometer outras pessoas, né, Tete? você deve dar boas risadas com isso!

Tetê disse...

Queridíssima e paciente Lucile! Esperou bem pela resposta, né? Sorry...
Olha, se você pagar bem, eu lhe mostro os e-mails, rs
Realmente, há coisas engraçadíssimas! Lógico que comprometem outras pessoas, e o louco não está nem aí, não percebe mesmo. E continua... continua me ligando e "redirecionando" e-mails. Talvez não seja descuido, não... talvez seja doença!
Mas eu é que não quero curar esse cara, viu? Deixa ele, mandando e-mail dos outros, quem sabe um dia não publico um livro???
Beijos