quinta-feira, fevereiro 19, 2009

Ops! Susto? Surf?

De uma forma bem diferente, Tetê fez o homem do elevador chegar ao fundo do poço... todo elevador tem um, não? Ele não chegou a decepcionar, parou num estágio muito anterior a uma decepção. Na boa? Ele não subiu um só andar desde o dia em que tomaram um café gelado. Estava bom com ele, mas sem ele estava dando na mesmo. E ele era do tipo que pegava no pé, dá para acreditar? Tetê precisou viajar e ele encrencou porque queria saber com quem ela iria, em que hotel ficaria... imagine Tetê dando esse tipo de satisfação! Tchau, tchau, elevador, Tetê está indo pelas escadas, viu?

E Tetê foi ao Rio por dois dias. Tudo rapidinho, a trabalho mesmo, sem tempo para nada, mas espremendo um pouquinho, deu para a via sacra da Visconde de Pirajá: pelo lado direito até chegar pertinho de Copa, volta pela esquerda até o Leblon, vendo tooooodas as vitrines e comprando coisinhas, coisinhas, coisinhas. Marcou com uma amiga no hotel e chegou atrasada, Marina já estava esperando por ela. Beijinhos, beijinhos, Tetê sobe para largar as dezenas de sacolas com as comprinhas básicas e reencontrar Marina em dois minutinhos no hall do hotel.

Ela entra no apartamento e deixa a porta encostada, joga as sacolas em cima da cama e procura uma escova para arrumar o cabelo, quando ouve um estrondo na porta. Tetê se volta e não acredita no que vê... um enorme pedaço de madeira comprida está atravessada da porta até o frigobar. Enquanto tenta entender o que aquilo significa, outro estrondo e outro objeto cai em cima do pedaço de madeira. Um objeto com cabelos compridos e loiros, uma pele bronzeada e uns olhos azuis de gritar!!! Os olhos olharam para ela e riram. E ela sentou no chão no chão na frente dele, assustada e sem saber o que fazer.

Foi o seguinte: o surfista (hum...) estava hospedado no mesmo andar. O apartamento de Tetê ficava ao lado do elevador. Ele passou a tarde dormindo e para aproveitar a praia no restinho do dia, saiu correndo, carregando a prancha. Se embolou todo no corredor e ao invés de entrar no elevador, caiu no apartamento dela que estava com a porta entreaberta.

Bem. Já que estavam os dois ali no chão, ao lado do frigobar, abriram uma cerveja para relaxar. Tetê lembrou da Marina, ligou para a recepção e pediu para a amiga subir. Ela também sentou no chão e os três ficaram horas conversando. A cervejinha acabou, tomaram uísque. Uísque acabou, saíram e, lógico, acabaram na Pizzaria Guanabara. Marina foi embora. Tetê e o surfista viram o dia nascer, andando até o Arpoador, pela beirinha do mar. Falaram, falaram, falaram. Tinham a impressão de que contaram um para o outro, suas vidas inteiras. Ele era carioca, mas estava desde 2005 trabalhando em Belo Horizonte. Sempre que podia dava uma fugida para aquele hotelzinho no Leblon para surfar e matar as saudades da cidade maravilhosa.

O sol já estava bem alto na pedra do Arpoador. Ele de bermuda e camiseta. Tetê com um vestidinho de seda com franjas de miçangas na barra. Tomaram café num boteco, voltaram para o hotel e trocaram telefones. Ela tinha uma última reunião pela manhã e voltava para Curitiba logo após o almoço.

Já no avião, ela pensou que ele era um homem que poderia, vez ou outra, freqüentar a casa dela... mesmo porque ele morava longe... e um surfista... bem, um surfista é um surfista. Não pega no pé, tem uma outra cabeça, outros interesses. Aliás, ele tem uma cabeça linda. Cabelos lindos. Olhos lindos. Corpo lindo...

E um surfista de verdade deixa recados na secretária do celular dela, que ela houve enquanto aguarda as bagagens na esteira do aeroporto. Um surfista de verdade diz que tem saudades e que não parou de pensar nela desde o café da manhã no boteco...

17 comentários:

Anônimo disse...

Aeeeeeee Tetê!!!! gostei!!! rs
É por aí amiga, viver apenas os momentos, já pensou? Agora como uma onda no mar e surfando! Beleza!
Tem coisa melhor que ver o sol nascendo na pedra do Arpoador??? O sol.. o mar ... o céu azul ... romântico!!! Como diz a música ... Há sempre um novo amor
E uma no ... va saudade Coisas do Brasil, coisas do amor, luzes da cidade acendendo o fogo das paixões...
Num bar à beira-mar (ou tomando um café num boteco)
No verde-azul do Rio
De Janei ... ro!!!!
Beijoss Tetê... torço por você sempre!

Anônimo disse...

Opssss esqueci ... bjo da Tata.

Anônimo disse...

amigaaaaaa! surfista é tudo de bom! quantos aninhos tem??? rsrsrs
viu só que crescimento? sai de uma piscina de bolinhas babaca e ganha o mar todo! e um mar carioca!
beijo beijo beijo

Leda disse...

Então... me conta aí: lembra quando você contou de um cara que chegou perto do teu pescoço? Que você nunca tinha deixado nenhum homem chegar ali, no teu pescoço?
Quero saber se você se arrependeu! Vale a pena baixa tanto a guarda assim?
Beijo, querida

Marco disse...

Hum... a Tetê tem msm??? Gostaria tanto de conversar com ela! É possível, Tetê? Você me atrai demais com seus posicionamentos loucos, inteligentes, impulsivos. Pode me passar o msm?
Fortíssimo abraço de fã.

Carlos disse...

conta aí: você se decepcionou mais com o esquisito ou com o piscina? isso vai fazer você tratar os homens de forma diferente daqui pra frente?
bj

Tetê disse...

Oi Tata! Quem diria, não? Um surfista assim, que cai do céu, literalmente. Isso é que eu chamo de "entrar na vida de alguém", imagine o susto que eu levei...
Mas é gente boa, sem vícios psíquicos, sem mania de perseguição, sem dramas, sem insegurança. É um homem feliz!
E você? Como andam as coisas? Pelo andar da carruagem ultimamente... eu tenho a impressão de que você também desistiu... rs
Beijinhos, manda notícias

Tetê disse...

Oi Anônima, acho que você é mulher! Perguntar quantos aninhos tem meu surfista? Só pode ser mulher! Mas não se anime não, não vou presa por ele ser menor... ele já tem 49 aninhos, e está ótimo!
Mas você acertou numa coisa, amiguinha: sair de uma piscina pra encarar um Arpoador... ah.... é lucro sim! Que lucro mais bronzeado!!!
Beijos e ondas

Tetê disse...

Oi Leda, que pergunta interessante!
Realmente, foi devastador confiar em alguém a esse ponto: deixar chegar perto do meu pescoço. Arrepender, arrepender... não me arrependi. Mas fico me perguntando que adiantou aquilo, acredita? Naquele momento foi instigante, mas agora...
De qualquer forma, estou absolutamente pronta para deixar outro homem chegar perto do meu pescoço novamente. A única exigência é que ele traga um belíssimo colar de esmeraldas numa das mãos...
Beijo!

Tetê disse...

Oi Marco, meu fã! Você quer conversar comigo no msm? Que falta de imaginação, hein? Trata-se de uma cantada ou de uma curiosidade mórbida? Não entendi...
Fortíssimo abraço pra você também, mas please, sem msm!

Tetê disse...

Oi Carlos... você tá na fila ou só perguntou de curioso mesmo?
Com o "esquisito" não foi decepção, não - foi uma tsunami louca e gostosa.
Com o piscina foi assim, como dizer... quando quebra um botão no teclado do computador, sabe? Por mais que você construa uma frase bem feita, sem uma letrinha... nunca mais terá um sentido charmoso.
Quanto a tratar os homens diferentes daqui para frente, imagine! Eu não quero é tratá-los! Quero que eles me tratem e que tratem de se "aprumar" em boutiques e joalherias antes de me dirigir um olharzinho sequer... rs
Beijinho

Leda disse...

Eu tenho a impressão de que esse cara que chegou no pescoço não entendeu que chegou no pescoço! E por que será que eu tenho a impressão de que o cara era meio... "pouco"? Por mais que você falasse que ele era "tudo"? Acho que você estava era com uma vontade enorme de achar o cara legal, viu?
Besos

Anônimo disse...

Pois é Tetê!!! que desisti faz tempo, como uma boa ariana, se não for pra já , não precisa mais rsrs Não gosto de fugir de nada , ou é ou não é!!! Não foi. Então não será mais!!! Acho que esperei um bom tempo, valeu. Mas não deixo de gostar do que vivi, aprendi bastante, adquiri mais conhecimentos, entende? Tudo e todos tem seu lado bom , que não deixa de ser válido, desde que me faça crescer e com tudo aprender, aprender, aprender...
É isso não é? rsrs Vamos surfar que é melhor rsrsrsrs
Beijoooo da Tata

Tetê disse...

Putz, Leda! Nem saindo de Oxford com um super doutorado... eu teria chegado sozinha a essa conclusão: o cara era "pouco"!!! A-M-E-I isso!!!
Beijinhos

Tetê disse...

Tata, Tata, Tata, Tata... Será que você insistiu o suficiente???
Longe de mim querer dar um palpite, mas... onde tem um lugar vago... simplesmente tem um lugar vago, rs
De qualquer forma, posso te garantir que uma prancha, uma pele dourada e cabelo queimado com parafina... é um paraíso! Você sabe nadar?
Beijos, amiga!

Anônimo disse...

Paraaaaaa Tetê! rsrs
Menina! quanto mais leio mais vejo que furada! Já li e reli seu último texto! Sabe quando você fica com cara de NÃO SEI?!!! AH É?!!! QUE COISA?!!!UI?!!! já saí daqui, voltei , tornei a ler! Meu Deussssssssss!!!
Tetê... sou do tempo que vovó dizia "Há males que vem para o bem" , me dava uma raiva quando eu ouvia ela falando! Acho que ela era uma sábia! Agora ...aquele de dizer "Ruim com ele, pior sem ele" é de matar né?????????? kkkkkk
Eu não acreditooo! não acredito!!!
Santa Ignorância!!!
Ahhh Tetê !
Valeu heim rsrs
Beijo querida Tetê!
da Tata.

Anônimo disse...

Quanto a nadar.
Até sei.
Mas morro de medo de água, adoro ficar olhando o mar, mas lá... ele lá e eu cá rsrs me afogo até no banho kkkk pior que é a pura verdade!
Mas não sou contra surfistas não!
Eles embelezam ainda mais o mar! pele dourada! hummm rsrs
beijoooooooooo
Tata